[:pt]Brasil[:]

[:pt]

Brasil, notícias de 15/04 a 30/04

Fosfoetanolamina:

A ação da AMB pretendia vedar o uso da pílula tendo em vista os riscos à saúde da população, mas o esforço se esgotou rapidamente. Segundo o relator do processo, o mandado de segurança não é a forma adequada de questionar o tema. De fato, questionar a constitucionalidade de uma lei em tese – a que autorizou o uso da fosfoetanolamina, no caso – é algo que se faz por meio de Ação Direta de Inconstitucionalidade. Estranho o advogado não ter previsto isso, seria necessário ler as peças e conferir. O que podemos afirmar é que a lei despertou e ainda despertará resistência.

CT&Inovação

Mais um relatório no rol dos materiais que podem subsidiar a discussão sobre a inovação no Brasil, depois daquele da Prof. Mariana Mazzucato que aqui publicamos duas semanas atrás. Este estudo do Ipea foi apresentado em audiência no Senado Federal. Os representante do Instituto destacou que:

“A aplicação dos recursos dos fundos setoriais, principalmente do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), não tem foco nos investimentos realizados e não cumpre o papel de fomentar programas e projetos prioritários de desenvolvimento científico e tecnológico. (...) [O]s recursos do fundo responderam por 50% (somaram R$ 2,98 bilhões) do orçamento do MCTI naquele ano – o equivalente a 16% do total de investimentos em ciência, tecnologia e inovação no País".

O estudo aponta que o plano que já está em execução pode ter algumas fissuras. O ambiente é propício para rediscuti-lo, tendo em mente a colocação da Professora Mazzucato da necessidade de um plano de médio e longo alcance. Do nosso ponto de vista, ainda que a aproximação ao setor privado não precise ser descartado como meio de inovar, é necessário repensar o próprio significado de inovação. Se com isso quisermos nos referir ao desenvolvimento de produtos que possam ter inserção comercial, o interesse público e o direcionamento da política de inovação podem estar totalmente dissonantes; se, no entanto, a compreendermos como aquilo que atende a necessidades prementes da população, como novas soluções eficazes e eficientes para problemas já existentes, atrelamos os dois.

É uma consideração importante ao pensarmos a regulamentação do novo Marco Legal de CT&I (MCTI prepara consulta pública sobre regulamentação do Marco Legal de CT&I): como garantir que o interesse público em acesso àqueles produtos que têm suas bases de pesquisa e desenvolvimento construídas dentro de institutos públicos será atendido? Em algumas universidades, um caminho já começa a se estruturar, mas é papel de toda a comunidade envolvida na pesquisa observar se ele é o mais adequado e problematizar afirmações como a da Agência de Inovação Unicamp, a seguir (Unicamp amplia parceria com empresas e fecha 15 licenciamentos e 51 P&Ds em 2015).

“Esses indicadores demonstram o quanto a universidade tem se estruturado para atender a indústria, começando com um trabalho bastante proativo em busca das demandas tecnológicas do setor produtivo, a indicação dos laboratórios e pesquisadores com melhor competência para atendê-los, até chegar à tramitação desses contratos e convênios dentro da universidade, que também têm ocorrido com mais agilidade”.

P&D

“Só este ano já foram registrados 1.012 casos no País, dos quais 153 foram a óbito. (...) [A] Fiocruz Pernambuco deu início, em fevereiro de 2016, a um estudo denominado Vigilância molecular do vírus da influenza suína e desenvolvimento de vacinas recombinantes".

“'Com esse diagnóstico poderemos dizer o potencial dessas cepas causarem doenças e o nível de ameaça que elas representam à saúde pública', disse Pena. Outro objetivo da pesquisa da Fiocruz Pernambuco é desenvolver uma plataforma vacinal inovadora para prevenção e controle da doença em todo território nacional”.
“[D]esenvolvendo um novo produto a partir do Líquido da Casca da Castanha de Caju (LCC) e sementes de Olho de Pavão (Adenanthera pavonina) para auxiliar no combate ao mosquito Aedes aegypti.

“'Dentre os diversos resultados obtidos neste estudo, pode-se destacar a obtenção de um novo larvicida a partir da combinação inédita de dois componentes da biomassa cearense, que poderá futuramente ser apresentado ao público como mais uma arma no controle da proliferação do mosquito Aedes aegypti'”.

[:]

Print Friendly
  1. Doenças negligenciadas e Malária | left a comment on 05/05/2016 at 12:31

    […] Três meios foram apontados para o controle do mosquito: captura massiva; uso de larvicida (que, como apontamos, é objeto de pesquisa na Universidade Federal do Ceará); e o mosquito modificado geneticamente […]

  2. Brasil | left a comment on 16/05/2016 at 14:00

    […] um programa em construção – venha a ruir. Já noticiamos em nosso boletim que, apesar dos defeitos em sua execução, é importante que o Brasil seja capaz de pensar e implementar um plano de médio e longo prazo […]

Qual a sua opinião sobre isso?

Receba as novidades da UAEM Brasil!Entrar na lista de e-mails
+ +
%d blogueiros gostam disto: