UAEM Brasil

Mapeamento de modelos alternativos de P&D: por um novo sistema

Mapeamento de modelos alternativos de P&D: por um novo sistema

Washington, DC – Hoje, A Universidades Aliadas por Medicamentos Essenciais (UAEM) está lançando o projeto Re: Route , um mapeamento de modelos alternativos de pesquisa biomédica. Lançado a tempo para o Painel de Alto Nível das Nações Unidas sobre Acesso a Medicamentos, em março de 2016, http://www.AltReRoute.com fornece uma análise qualitativa das iniciativas alternativas de P&D biomédica em todo o mundo. Este projeto, conduzido por estudantes, fornece evidências da necessidade de iniciar um diálogo realmente transformador que concentre esforços em ações orientadas pelas necessidades das populações e pautada pelas necessidades de P&D biomédica.

A crise de altos preços de medicamentos, a resistência antimicrobiana e eventos trágicos como a emergência do Ebola e agora o Zika, todos apontam para a necessidade de uma mudança fundamental na forma como medicamentos são desenvolvidos. Sob o atual sistema direcionado pelo lucro, cerca de 1 em cada 3 pessoas em todo o mundo não tem acesso a medicamentos essenciais. Doenças negligenciadas, que afetam globalmente principalmente as populações mais pobres, só recebem 2% dos recursos investidos em P&D por ano. Ao mesmo tempo, novos medicamentos de grande sucesso têm preços inaceitáveis – como o Sofosbuvir da Gilead, vendido a US$84.000,00 nos Estados Unidos.

O projeto Re: Route investiga iniciativas existentes e prospectivas de P&D que pretendam abordar as falhas do sistema atual. O mapeamento não pretende ser totalmente abrangente, mas abarca 81 iniciativas que apresentam pelo menos um dos mecanismos alternativos aceitos. Estes mecanismos são a dissociação entre os preços dos medicamentos e os custos P&D, a garantia de acesso aberto e compartilhamento de dados e abordagens colaborativas, bem como mecanismos “push”, “pull” e “pool”.

"81 iniciativas pode parecer impressionante. No entanto, as pessoas continuam morrendo porque não podem pagar por medicamentos ou porque não existe mercado para os medicamentos de que necessitam"

Rachel Kiddell-Monroe, Assessora Especial da UAEM e membro do Conselho Internacional de MSF.

No geral, o mapeamento revela que falta mudança sistêmica na P&D biomédica. Enquanto algumas iniciativas têm, sem dúvida, realizado avanços importantes em doenças específicas e questões sistêmicas, outras simplesmente promovem uma abordagem tradicional.  No entanto, “Algumas das iniciativas mais bem-sucedidas que foram mapeadas podem fornecer os subsídios para uma nova abordagem de P&D biomédica”, afirma Alexandra Greenberg, líder estudantil na UAEM e coautora do Re:Route.

"Como estudante, acredito firmemente que as universidades têm um papel fundamental a desempenhar para garantir que essas ideias passem a fazer parte do novo padrão em P&D".

A epidemia do Ebola revela claramente as armadilhas da abordagem atual de P&D. Um tratamento potencial contra o Ebola não foi desenvolvido para uso porque não havia motivação financeira para as empresas farmacêuticas.

"Agora, mais do que nunca, temos uma oportunidade histórica e a grande responsabilidade de ajudar a conduzir uma transformação na P&D biomédica, de modo que ela sirva às pessoas ao invés dos lucros"

Merith Basey, Diretora Executiva da UAEM na América do Norte. “Aspiramos a que este mapeamento seja uma ferramenta chave para estudantes e pesquisadores, que os ajude a compreender melhor o atual panorama de P&D e que os equipe melhor para liderar a mudança necessária ao enfrentamento do sistema atual em seu núcleo”.

Para informações à imprensa, por favor entrar em contato com Ali Greenberg ali@uaem.org

[:]

Leave a Comment